Quem sou eu

Minha foto
Florianópolis, SC, Brazil
Sou responsável pelo escritório BCU Brasil - Regional Florianópolis. Somos um Banco de Cordão Umbilical, que coleta, processa e armazena as células-tronco retiradas do sangue do cordão umbilical do bebê. O BCU, com mais de 11 anos de atuação no mercado mundial é detentor de vários prêmios o que demonstra sua plena capacidade, possuímos mais de 35.000 coletas realizadas. O BCU participa de várias pesquisas, inclusive no ramo da biotecnologia. Informações: (48) 3025-3700

Banco de Cordão Umbilical

Banco de Cordão Umbilical
informe-se e colete! (48) 3025-3700

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Impressões de um papai sobre...

Hoje teremos mais um depoimento! Este é super completo e falando de vários detalhes sobre nosso contato (do BCU) com o casal Mario e Cleu. Eles inicialmente entraram em contato conosco quando mamãe estava com 7meses e a partir daí iniciamos nosso relacionamento! Meu contato foi direto com o Mario, super atencioso e preocupado. Mamãe Cleu eu conheci direto na visita, uma querida! Vou inclusive passar aqui depois o endereço de seu blog, onde ele fala sobre essa vida de pai e também conta mais sobre o seu contato com o BCU. 


"Era um dos últimos dias do ano de 2010, não me lembro bem qual. Entre Natal e Ano Novo.

Eu estava trabalhando, em meu escritório, e como de costume, trocando algumas palavras de vez em quando com a minha esposa no gTalk.

Em um dado momento ela me enviou um arquivo, um PDF. Na hora em que eu abri, meu companheiro de trabalho Fábio começou a falar comigo. Foi estranho. Eu tentava prestar atenção no que ele falava ao mesmo tempo em que eu tentava decifrar o que aquele exame de sangue significava. Eu não estava sabendo que ela tinha ido fazer o exame e nem da suspeita.

Foi um choque emocionante.


 O bebê era esperado já havia uns 6 meses. E pensar que ele esteve conosco no Natal e foi conosco para Paraty e Campos do Jordão.

Durante a gravidez comecei a estudar bastante sobre gestação e primeiros anos de vida. Sou um pai bastante preocupado com saúde, motivo que me fez valorizar a coleta de sangue do cordão umbilical por causa das células-tronco.

Durante o período de acompanhamento pré-natal do Arthur comecei a me inteirar mais sobre o assunto. Sabia que era algo a ser feito no momento do parto, mas não sabia muito além.


 Achava que fosse algo tão bom que por isso seria muito caro, “somente para ricos”. Sinceramente, eu não duvidaria há dois anos atrás se alguem dissesse que o custo era R$ 30 mil (e definitivamente não seria para mim).

No entanto, era um assunto que eu e a Cleu nunca havíamos conversado. Temia que ela achasse que fosse um cuidado exagerado.

Um investimento desse tipo é como um seguro. Você paga para não ter que usar. E vendo dessa forma positiva, acho impagável que uma pessoa daqui há mais de 50 anos possa, por que não, receber um novo coração feito a partir de suas próprias células-tronco. Ou novos olhos e não precisar fazer cirurgia nem de catarata nem de miopia. Foi esse tipo de pensamento que me fez desejar muito isso para o Arthur.

Para mim, sinceramente pareceu só vantagem e nunca algo desnecessário. Acho até triste pensar, mas vejo como uma realidade: daqui a 70-90 anos vai ter muito velhinho por aí se despedindo, como sempre aconteceu, enquanto outros num piscar de olhos vão se recuperar de seus problemas e ganhar um “gás” por mais alguns anos.


 Após pesquisar optamos por fazer com o BCU devido a alguns diferenciais estratégicos e um atendimento muito superior.

O primeiro retorno que tive foi um e-mail foi enviado já pelo BCU Florianópolis, pela Vanessa Rockenbach. Era um e-mail bem grandão, com muitas informações técnicas, preço, uma promoção vigente àquela época, modelo de contrato e um documento para ser preenchido solicitando dados básicos sobre a família e o parto.

Uma coisa que eu achei interessante no caso do BCU foi o fato de que eles davam uma segunda bolsa gratuita, tanto na coleta quanto na anuidade do armazenamento.

Estava vendo aqui hoje em meu histórico a minha conversa via chat com a Cleu sobre a decisão e o histórico do primeiro contato com o BCU: foram 23 (!) e-mails com a Vanessa.

Após todos esses e-mails, sinalizamos positivamente que iríamos fechar com eles, e agendamos uma visita em um sábado de manhã com a Vanessa em nossa casa.

Na ocasião ela trouxe o contrato para assinarmos. Eu já havia enviado os dados anteriormente, mas ela havia deixado claro que a assinatura só seria feita quando não houvessem mais dúvidas. Ela trouxe também um kit para explicar com uma boneca como era todo o procedimento, além é claro do kit de coleta. O kit de coleta fica com os pais e não pode ser esquecido na ida à maternidade.

Para o parto, vai uma enfermeira do BCU e alguns médicos também estão habilitados para o procedimento. No nosso caso o parto era com o Dr. Luis Miguel Parente, que é habilitado (segundo o BCU), mas mesmo assim a coleta foi uma enfermeira.

 
O parto foi na Clínica e Maternidade Santa Helena, no bairro de Coqueiros em Florianópolis. Chegamos com antecedência, para o parto que seria às 13:00. Antes da hora irmos para o setor cirúrgico a equipe do BCU já estava lá. O atendimento como sempre foi muito bom. A Vanessa até mesmo havia se oferecido para tirar fotos do parto, porém a partir daquela data a maternidade não estava mais permitindo que ela fizesse isso por achar que fica mal com o serviço de foto e filmagem de um rapaz que trabalha por lá. Mas a intenção foi boa e não foi esquecida.

O parto correu tudo bem. Eu tinha medo da anestesia. O Dr. Luis Miguel falou que eu poderia ficar tranquilo, que seria um “parente meu” o anestesista, que era um descendente de japonês. Havia na sala, além da Cleu e o Arthur na barriga, o Dr. Luis Miguel, um outro obstetra, um pediatra, um anestesista, um enfermeiro, uma enfermeira e mais a enfermeira do BCU e eu. Na hora que o Arthur saiu foi um momento inesquecível. Fiquei me sentindo até um pouco mal por ficar dando mais atenção à ele do que para a Cleu. Mas tudo correu bem.

A Cleu recebeu do BCU uma cestinha, com presentinhos e guloseimas, já que estava de jejum antes.


 
Enfim, como sabem recomendo muito a coleta de células tronco e posso dizer com tranquilidade que o serviço do BCU na Grande Florianópolis é muito bom. Recomendo.


Que lindo, né? Declaração de amor ao BCU :)
você encontra mais posts do Mario em:
 
Conheçam o blog, é muito interessante e aborda diversos assuntos deste lindo universo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget