Quem sou eu

Minha foto
Florianópolis, SC, Brazil
Sou responsável pelo escritório BCU Brasil - Regional Florianópolis. Somos um Banco de Cordão Umbilical, que coleta, processa e armazena as células-tronco retiradas do sangue do cordão umbilical do bebê. O BCU, com mais de 11 anos de atuação no mercado mundial é detentor de vários prêmios o que demonstra sua plena capacidade, possuímos mais de 35.000 coletas realizadas. O BCU participa de várias pesquisas, inclusive no ramo da biotecnologia. Informações: (48) 3025-3700

Banco de Cordão Umbilical

Banco de Cordão Umbilical
informe-se e colete! (48) 3025-3700

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Presente mais que perfeito!

Hoje teremos um lindo e carinhoso depoimento!
Nos sentimos honrados em termos sido escolhidos por vocês, é muito importante para nós a sua opinião! Obrigada pela confiança!


A história do Davi!


"Namoramos durante sete anos, ficamos um ano e meio noivos até o tão esperado casamento em 2008. Sempre falávamos e planejávamos engravidar, mas em razão de outros projetos resolvermos adiar um pouco a gravidez.
Em 2010 tivemos uma amiga que estava grávida e acabou tendo um aborto espontâneo, o que nos deixou bastante preocupados e nos fez pensar novamente na gravidez naquele momento. E assim acabamos decidindo colocar em prática nossos projetos e adiar mais um pouco nosso bebê. Entretanto, mesmo evitando naquele momento a gravidez, sempre soubemos que na verdade não somos apenas nós quem decidimos o futuro.


Mas ainda assim resolvemos procurar uma obstetra, pois minha ginecologista não tinha essa especialidade. Afinal tínhamos que nos preparar, pois infelizmente sofro de asma grave e necessitaríamos de acompanhamento mais específico antes e durante a gravidez.
Sendo assim, através de algumas referências, tivemos a indicação da Drª Raquel Gomes Aguiar da Silva, onde após uma consulta de apresentação decidimos que ela seria a obstetra que nos acompanharia nesse sonho.
E assim, no mês de novembro de 2010 iniciamos os preparativos para a tão sonhada gestação... exames, comprimidos de ácido fólico, e até uma reforma na casa para aguardar o nosso bebezinho.



Em fevereiro de 2011, no primeiro dia “daquele atraso”... já tinha certeza que estava grávida, mesmo quando todos achavam que era minha ansiedade.
Então, sem mais demoras resolvermos fazer o exame de sangue para confirmar o que já imaginávamos.
Ao abrir o envelope e olharmos o resultado do exame não conseguimos conter tamanha emoção! Foi o POSITIVO mais POSITIVO que já lemos. Foi o melhor presente de Deus que podíamos ganhar, e ainda mais comemorar meu aniversário em fevereiro com nosso pequeno na barriga.




Porém, emoção mesmo sentimos no primeiro exame de ultrassom, quando escutamos as batidas do coraçãozinho do nosso bebê. Ali conseguimos materializar nosso maior sonho. Curtimos mês a mês o desenvolvimento do neném na barriga através do acompanhamento pelos ultrassons descartando a cada exame eventuais patologias e observando seu crescimento. Além disso, a compra do enxoval, a organização do quartinho, o descobrindo do sexo, a escolha do nome Davi... tudo muito gratificante e emocionante.



Foi nesse momento que meu marido recebeu a ligação da equipe do BCU, para acertarmos o dia da apresentação. 
Antes da apresentação pensamos de imediato que a idéia era muito interessante, mas que os custos seriam inviáveis.

Já na primeira reunião com a Vanessa e seu irmão, após nos ser apresentadas as informações do procedimento e seus custos, sem dúvidas decidimos que contrataríamos o serviço, tanto pela importância que esse “seguro de vida” representaria se necessário seu uso, quanto pela viabilidade financeira.




Tudo ia perfeitamente bem, estava trabalhando normalmente, apenas cuidando da alimentação e claro mantendo cuidados necessários com o corpo para esperar o bebê.
No entanto, no sétimo mês de gestação comecei a sentir fortes dores abdominais. Várias pessoas me falavam que era normal, que possivelmente era o pé do bebê batendo na minha costela.
Porém, os dias foram passando e a dor foi aumentando consideravelmente, fazendo com que me questionasse como poderiam todas as mães agüentar aquela dor e eu não? Esperei tanto por isso, como não poderia suportar?




Num dia crítico da dor corremos para emergência da Maternidade Ilha onde fomos atendidos por uma obstetra muito querida (Drª Raphaella Bristot Silveira). Fiquei internada com medicação para aliviar a dor e com exames para fazer, pois havia suspeita de pedras na vesícula. Realizamos vários exames e descobrimos que eu estava com Hepatoesplenomegalia (aumento do fígado e do baço). Assim tive que realizar muitos outros exames para saber o motivo, passando por vários especialistas (Pneumologista, Gastrologista, Infectologista), repousos absoluto, noites em claro na maternidade com Coldeína na veia.

Foram várias suspeitas (Hepatite A, Hepatite B,Toxoplasmose...). Ficamos apavorados, com o fato de a nossa obstetra falar que talvez fosse necessário me internar no Hospital Regional, pois era o único que teria UTI geral e neonatal. Será que nosso sonho seria interrompido? E se fosse para fazer o parto antes de 32 semanas não conseguiríamos coletar as células?



Graças aos cuidados dos médicos por que passei (em especial a Dra. Raquel), o carinho dos amigos que recebi, a dedicação da família, a força, o estímulo e o incentivo que recebi da minha mãe e meu marido e principalmente por sua fé em Deus, tive certeza de que ficaríamos bem.  E ficamos!
Esses amigos, família e marido tão especiais ainda organizaram um maravilhoso Chá de Bebê para nosso tão esperado Davi!

E assim conseguimos chegar as 39 semanas e cinco dias de gestação! Enviamos um email para a Vanessa avisando que tínhamos marcado a cesárea para segunda feira dia 10.10.2011 na Maternidade Ilha. Quando chegamos à maternidade a enfermeira do BCU já estava nos aguardando, o parto e a coleta foi um sucesso!


Nosso Davi chegou ao mundo as 18horas e 45minutos, pesando 3,58 quilos e medindo 50 cm, cheio de saúde e fome, pois logo após o banho já realizou a primeira mamada enquanto me recuperava ainda na sala de observação.

Ao sairmos da maternidade a equipe do BCU estava lá novamente para nos desejar felicidades!!!

 
Já faz um ano que o Davi chegou trazendo toda a felicidade que jamais poderíamos imaginar! Curtimos cada momento desde o primeiro choro, o sorriso, o desenvolvimento do engatinhar, do andar, do balbuciar...
Comemoramos cada mês, o batizado, o primeiro dia na escola, o aniversário do primeiro ano... Vibramos a cada descoberta e a cada fase que se inicia!


Enfim, agradecemos a Deus por tudo que nos deu e nos dá todos os dias, tendo fé que curtiremos todas as fases do nosso Davi, sempre torcendo para que ele tenha muita saúde.
  

Porém, mesmo orando para que o Davi nunca venha a precisar dos recursos oferecidos pela medicina e ciência através da utilização das células tronco, temos a certeza e a tranqüilidade de que ele está assegurado por esse benefício, e caso seja necessário, bem como com a evolução dos estudos realizados com estas células, temos confiança de que os resultados serão extremamente positivos, e o retorno com esse investimento será muito gratificante."

Depoimento escrito por Janaina e Rodrigo, pais do fofo Davi. 

Lindo, lindo, lindo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget